BIZARRA DA GLOBO

Morde e Assopra, a

NOVELA DAS 7 MAIS

O ano era 2011 e as famílias brasileiras assistiam "Morde e Assopra" na faixa das 19h da Globo. De dinossauros a robôs, a trama era bastante exótica, para dizer o mínimo

São muitos os arcos que provam que “Morde e Assopra” foi um show de esquisitices. Talvez o mais famoso deles seja o da robô assassina vivida por Flávia Alessandra

Depois do desaparecimento da esposa Naomi, Ícaro (Mateus Solano) criou uma versão robô da amada. Em vários momentos peculiares, fomos apresentados ao interior da máquina

A história rendeu cenas muito estranhas. Quando a Naomi humana retornou à cidade, por exemplo, sua versão robô não só ficou com ciúmes, como tentou matá-la

A novela também achou uma boa ideia apresentar dinossauros em pleno século 21

 Júlia (Adriana Esteves), a protagonista, era uma paleontóloga que buscava fósseis de uma espécie pré-histórica para completar seus estudos

Quando a personagem descobriu vestígios na cidade de Preciosa, os roteiristas adicionaram à trama dinossauros vivos. Sobre os efeitos, você já deve imaginar…

Ah, para completar o trio de bizarrices, “Morde e Assopra” ainda trouxe Otaviano Costa como um foragido da polícia que se vestia de mulher

Para não pagar pensão, o personagem Élcio se transformava em Elaine e, claro, aproveitava-se disso para ter mais intimidade com as mulheres – é desserviço que fala, né?

purebreak,

entretenimento e

jovem

empoderamento

Clique e leia mais