5 pontos para entender polêmica entre o ENEM 2021 e o governo

O ENEM 2021 acontece em 21 e 28 de novembro, porém, desde o começo do mês, graves polêmicas envolvendo a prova e o governo tomaram conta da mídia. Veja 5 pontos para entender o assunto sério!

(Crédito: INEP / Divulgação)


No começo de novembro, 37 servidores do Inep - instituto responsável pelo ENEM - pediram demissão, alegando “fragilidade técnica e administrativa do órgão”. 

1. Demissão em massa

(Crédito: Reprodução)


Muitos servidores também disseram ao Globo que houve pressão psicológica e vigilância para que evitassem questões polêmicas, envolvendo o presidente Bolsonaro, no ENEM 2021. 

2. Interferência na prova


O assunto é tão grave que, em setembro, um servidor do Inep afirmou que um policial federal apareceu em local restrito, enquanto a prova era feita. As informações são do Globo.

3. Acusação de censura



Na última segunda-feira (15), o presidente Bolsonaro fez declaração polêmica: "Começam agora a ter a cara do governo as questões da prova do Enem”.

4. “A cara do governo”



Porém, nesta quarta (17), Jair Bolsonaro volta a reafirmar que o Governo Federal não tem acesso às questões - o que já foi contrariado por funcionários do Inep.


Além de toda crise política, o ENEM 2021 tem o menor número de inscritos na década, evidenciando as desigualdades entre escolas públicas e privadas - principalmente na pandemia.

5. Poucos inscritos


De acordo com Agência Brasil, 1 em cada 4 brasileiros não tem acesso à internet, impossibilitando ensino remoto para todos e impedindo que muitos consigam realizar o ENEM da mesma forma.

DISCURSO NA ONU

POR BOLSONARO EM

7 mentiras contadas

CONFIRA TAMBÉM:

purebreak

jovem

e ENTRETENIMENTO

empoderamento

crédito

Renata Moreira
Mafê Capelli
Luísa Araújo